Dia Internacional da Mulher: 8 de março

4 MIN LEITURA


São Paulo: Isaura Leite

( Conteúdo extraído de Midia Ninja e Radio Interativa FM )

Dom Helder Câmara disse certa vez: “Quando eu distribuo comida aos pobres me chamam de santo; e quando eu pergunto : porque são pobres? , chamam-me de comunista.”

Seguindo esta reflexão ensinada por Dom Helder , a socióloga Aava Santiago (@aavasantiago) , no programa Papo Cabeça, pergunta : Por que as mulheres estão morrendo?

Uma das mazelas mais epidêmicas do Brasil é o descarte da vida das mulheres. É consenso que é um absurdo que as mulheres estejam morrendo. Porém, quando nos indagamos porque as mulheres estão morrendo, as pessoas dizem que é exagero, é mimimi ou “não generalize”. O fato é que as mulheres estão sendo agredidas todos os dias e as estatísticas estão aumentando. E Por que elas são assassinadas, agredidas, violentadas todos os dias?

Hoje, nós toleramos e levamos na brincadeira atitudes machistas. Um ciúme excessivo é encarado como prova de amor e cuidados, um abuso psicológico é visto como exagero. Mulheres são desacreditadas ou levadas a crer que são as culpadas pelas agressões que sofrem. Quando conhecem os agressores – maridos, namorados, pessoas da família, acreditam que precisam de calma para entender que “ele estava nervoso” e que pode mudar.

Por que consideramos normal comportamentos machistas violentos e por que os homens não são cobrados e culpados nessas situações? Porque as mulheres são vistas como responsáveis pelas próprias mortes?

Segundo Aava : O machismo é naturalizado desde muito tempo. Ela explica, usando de sua experiência pessoal, quando teve um filho homem. As pessoas conhecidas, da família, até as desconhecidas quando viam seu filho bebê ao lado de uma menina já comentavam “olha, como ela é gatinha ou “Olha a namorada”. Ou a criança, na motoca de plástico, brincando já achavam e comentavam “será um garanhão!”. Quem se queixar ou tiver um pensamento contrário são taxadas de histéricas, loucas, desequilibradas. As atitudes machistas são toleradas e levadas como brincadeira.

Não é hora de repensarmos porque temos de educar os filhos desta maneira? Os homens não nascem violentos, eles se tronam violentos e adoecem. E é isso que está deixando as mulheres doentes também.  

Precisamos romper o ciclo da violência. Entre 2016 e 2018 mais 3200 mulheres foram vítimas de feminicídio no Brasil. No mesmo período, mais de 3 mil casos não foram notificados e não entram nas estatísticas estimadas Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Não podemos mais naturalizar atitudes machistas e a cultura do estupro, que segue matando mulheres todos os dias.


 

 

  • [1] Leia mais: Articulação Brasileira Pela Economia De Francisco

Economia de Francisco

Economia de Francisco e Clara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.